Cumprindo a determinação do Banco Central, a Federação Brasileira dos Bancos (Febraban), anunciou a obrigatoriedade do boleto registrado com o objetivo de proporcionar maior segurança contra fraudes e trazer mais transparência para o mercado de pagamento. O prazo para que as redes bancárias e as empresas se adaptem se encerra em dezembro de 2017. 
O sistema eletrônico de compensação só aceitará a transação se o boleto tiver sido registrado pelo banco, com os dados do credor (CNPJ, Razão Social, etc.), data do vencimento, valor e também dos dados do pagador (CNPJ ou CPF, nome. etc.). Se alguma informação não conferir, o pagamento não é aceito.
A partir de outubro de 2017, todos os boletos emitidos pela AnSata serão registrados, cumprindo a determinação do Banco Central e para proporcionar maior segurança e entrega eletrônica por meio do DDA (Débito Direto Autorizado)" , pois no momento da emissão o banco já tem conhecimento do boleto. 
Clique aqui e veja um documento explicativo produzido pela Febraban.
Caso tenha alguma dúvida, sobre esse novo sistema, a nossa equipe está a disposição.
Fonte: AnSata
 
Curta a nossa página no Facebook!
Siga-nos no Twitter!
Veja os nossos vídeos no Youtube!